Novas tecnologias a serviço do ciclista

Novas tecnologias a serviço do ciclista. Atletas do ciclismo e triathlon falam sobre as novidades tecnológicas no esporte, equipamentos de segurança e perfomance.

Os atletas lendários: Fernanda Keller, Adriana Nascimento, Márcio Ravelli e Hugo Prado Neto falaram sobre o esporte, segurança e desempenho físico num bate-papo descontraído transmitido ao vivo via Youtube no 1º Specialized Talk Show.



O tema que abriu a conversa foi a segurança, considerada a primeira preocupação que o ciclista deve ter, antes mesmo de subir na bike. A embaixadora do MTB e educadora física Adriana Nascimento reitera a necessidade de checar as condições climáticas e o tipo de terreno e nunca deixar de usar o capacete, nem para pedalar até a esquina de casa.

Esquerda para direita: Fernanda Keller, Adriana Nascimento, Marcio Ravelli
Esquerda para direita: Fernanda Keller, Adriana Nascimento, Marcio Ravelli

“Se eu saí de casa e esqueci o capacete, é melhor voltar e buscá-lo. Esquecer algo tão importante, que pode salvar a vida, significa que o ciclista está desatento naquele dia – pode ser cansaço de uma noite mal dormida até – e a atenção precisará ser redobrada e muita gente passa batido por esse alerta do corpo”.

O atleta, treinador e empresário Hugo Prado Neto faz coro e complementa: “o ciclista deve tentar antecipar ao máximo o que pode acontecer, por mais que o sinal esteja verde para ele. Precisamos parar de culpar os outros e tomar pra si a responsabilidade da própria segurança”.
Novas tecnologias a serviço do ciclista

Sensor no capacete que detecta impacto e chama por socorro
Sensor no capacete que detecta impacto e chama por socorro

Ciclorio loja especializada na venda de bicicletas, peças e acessórios


O ciclista deve entender a diferença de deslocamento pela cidade e de um treinamento, escolhendo locais adequados para se preparar para uma prova. “A imprudência de motoristas é fato, mas a de ciclistas também é constante por não sintonizarem o lugar e os horários que vão treinar. Já parei um ciclista enquanto pedestre que pedalava em uma rua sem espaço pra um carro desviar de você, pode até brigar comigo”, diz Fernanda Keller, triatleta, que já participou 24 vezes do Ironman.

Alguns sistemas simples à primeira vista como o foro interno MIPS do capacete, por exemplo, impedem que o crânio balance com o impacto de um acidente grave, diminuindo as chances de sequelas. Há ainda a tecnologia ANGi com o sensor de queda, que detecta a queda e envia um alerta de resgate aos contatos indicados pelo ciclista.
Novas tecnologias a serviço do ciclista

Use sempre capacete
Use sempre capacete

“O capacete funciona também como um rastreamento: se eu saí para pedalar sozinha, os contatos que indiquei podem acompanhar o trajeto. Isso facilita a localização em caso de acidentes”

“A conexão do sensor com o aplicativo é via bluetooth e funciona também como um rastreamento: se eu saí para pedalar sozinha, os contatos que indiquei podem acompanhar o trajeto. Isso facilita a localização em caso de acidentes”, explica Adriana.

Entre as inovações na bicicleta, Hugo destaca o freio à disco. “Vale a pena investir em um equipamento com esse tipo de freio nas bikes de estrada também, principalmente para iniciantes que não tem força e habilidade pra frenar. É muito mais suave”.

Com muita experiência em MTB, o biker Márcio Ravelli aconselha evitar as estradas e rodovias para pedalar, inclusive as rurais, e optar por locais apropriados, como em bike parks como o Nore, em Itu (SP) ou o Zoom Bike Park, em Campos do Jordão (SP).

Equipamentos mais modernos

Túnel de vento ajuda no desenvolvimento aerodinâmico
Túnel de vento ajuda no desenvolvimento aerodinâmico

Depois de adotar o estilo de vida de um ciclista, Hugo conta que sempre focou no processo de treinamento e o resultado nas competições ao longo da carreira. “A busca por aumentar o desempenho esportivo não é mais um objetivo exclusivo de atletas de alta performance. Os medidores de potência são ótimos aliados para que o ciclista e o treinador otimizem o treinamento com precisão e agilidade. Ninguém tem tempo a perder hoje em dia, não é mesmo?”, diz. Os medidores de potência é uma das mais importantes inovações do momento. O sensor integrado ao pedivela envia os dados de potência em watts para o computador de bordo.

Há 20 anos, quando os primeiros medidores surgiram, eram difíceis de instalar e com alto custo. E agora estão se tornando financeiramente mais acessíveis aos entusiastas do ciclismo, deixando de ser item exclusivo para alto rendimento, inclusive fazendo parte de bikes produzidas em série como a Tarmac e os pedivelas Specialized PowerCrank.

“Os dados coletados ajudam inclusive a quebrar aquele tabu de que esportes de endurance fazem mal pro corpo por conta do alto desgaste físico. Essa tecnologia toda ajuda que o ciclista tenha mais dias bons e mais divertimento em cima da bike” – acrescenta o treinador Hugo da OCE, uma das principais assessorias esportivas do país.

Apesar da tecnologia mais acessível, ter alguém que ajude no treino e tenha habilidade para ler os dados é fundamental para ter 100% de aproveitamento do medidor de potência. O atleta acredita que o monitoramento mais preciso de dados de desempenho, que quantifiquem os impactos de carga e estresse no corpo do ciclista, por exemplo, disponíveis no mercado também. “Atualmente já existem muitos estudos sobre isso e acredito que essa será a próxima grande inovação” – completa.

Escrito por Andre T. Piva, colaboração Juliana Vaz
Fonte: RedBull.com

Novas tecnologias a serviço do ciclista
5 (100%) 2 votos

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.